quarta-feira, 8 de maio de 2013

A Banda do Rudge Ramos."Temida Por Onde Passava, Pois Não Havia Rival"


A BANDA MUNICIPAL INFANTO-JUVENIL “RUDGE RAMOS” foi formada em 16 de dezembro de 1967 reunindo crianças do Bairro de Rudge Ramos sob a orientação do Tenente Francisco de Oliveira Salles que obteve licença da Força Pública para dedicar-se exclusivamente a essa atividade.
Sendo a segunda Banda na categoria a ser formada no Município, esta Banda surgiu visto a quantidade de jovens e músicos  que havia no Bairro de Rudge Ramos. Com apenas 1 anos de existência , já em 1968, a Banda iniciou suas apresentações em São Bernardo do Campo e o pouco tempo despedido na sua preparação inicial ensejava um futuro promissor.
Durante o ano de 1969, além de diversas apresentações em várias cidades de São Paulo e o Sul de Minas Gerais, o maior destaque foi a apresentação no Jockey Clube de São Paulo por ocasião da visita do Presidente da República Marechal Arthur da Costa e Silva.
Nos anos seguintes esta Banda esta Banda apresentou-se em diversas cidades do Brasil em comemorações, aniversários, festivais e campeonatos.
Em virtude dos altos serviços prestados a coletividade além da valiosa contribuição para a formação de novos músicos, a Bandinha do Bairro dos Meninos, foi oficializada através do decreto Lei n°5926 de 13 de junho de 1978 com apenas 10 anos de existência  este jovem grupo consolidou  sua posição de destaque no meio artístico, não só pelos inúmeros prêmios conquistados , mas pelo nível de repertório que inclui entre outras a “Abertura da Ópera Norma” de Vicenzo Bellini.
Em algumas ocasiões, participando como jurado em Concursos  de Bandas e Fanfarras, pude assistir a Bandinha. Realmente ele toca muito bem e os músicos são muito afinados . No Brasil estes grupos constituem grande celeiro de músicos além de uma iniciativa ao alcance da Municipalidade.
Sob a regência do Maestro Romilso Curvello da Silva a Bandinha conquistou inúmeros prêmios entre os quais podemos destaca:
1972- Campeã- Concurso de Bandas e Fanfarras de Cotia (SP)
1974/75/76- Tri-Campeã- Campeonato de Bandas e Fanfarras da Radio e TV Record.
1980 – Penta-campeã na Radio e Tv Record.
São inúmeros prêmios que ao lado somam mais de 80 troféus.
Para alcançar tanto sucesso a Bandinha  sempre contou uma dedicada turma de jovens músicos. São eles:

NOME
INSTRUMENTO
NATURALIDADE



Dennis E. Canovas
flautim
São Paulo
Marisa Y. Takano
flauta
São Paulo
Fabio A. S. Vedovelli
requinta
Santo André
Luciana N. Shimidt
clarinete
São Bernardo do Campo
Uilton J. Romeiro
clarinete
São Paulo
Silvia M. Mayer
clarinete
São Paulo
Eliane R. Tridente
clarinete
São Bernardo do Campo
Anni Mary F. Cavalcanti
sax-soprano
São Paulo
Carlos A.M. Campos
sax alto
Santo André
Silas H.R. Sousa
sax alto
São Paulo
Alessandra Bargas
sax alto
São Paulo
Alex S.F.Silva
sax alto
São Paulo
Akemi S. Maister
sax tenor
São Paulo
Cássio H. Takano
sax tenor
São Paulo
Kleber A. Nery
sax tenor
São Paulo
Rubens A.T.Silveira
sax barítono
São Paulo
Romilso C.da Silva
Trumpete
Santo André
Ricardo D.D.Kilser
Cornetin
São Paulo
Adriana Martini
Trumpete
São Caetando do Sul
Fernando J. de Lima
Trombone
São Paulo
Denise G. Nogueira
Trombone
São Bernardo do Campo
Lucianna Martini
Trombone
São Caetando do Sul
Simone M.E.Khoury
Trombone
São Bernardo do Campo
Samilson R.de Souza
sax horn
São Paulo
Denise G. Nogueira
Bombardino
São Bernardo do Campo
Edilson Ribeira
Baixo
São Paulo
Nivaldo S. dos Santos
Baixo
São Bernardo do Campo
Cleiton M. Alves
Baixo
São Bernardo do Campo
Simone Mulli Mayer
Percussão-Caixa
São Paulo
Ronaldo R. Silveira
Percussão-Caixa
São Paulo
Leandra Watanabe
Percussão-Caixa
São José do Rio Preto
Robson Perrela
Percussão-Surdo
São Bernardo do Campo
Neslson R. Martini
Percussão-Surdo
São Caetando do Sul
Mirela Watanabe
Percussão-Surdo
São Paulo
Claudinei R. de Sousa
Percussão-Surdo
São Paulo
Ednei S. Nery
Percussão-Prato
São Caetando do Sul
Tricia Watanabe
Percussão-Prato
São Paulo

Em agosto de 1981, a Bandinha gravou seu primeiro long play. Sob a regência do Maestro Romilso Curvello da Silva a gravação ocorreu nos Estúdios da Gravodisc em SP constituindo num valioso registro sonoro do trabalho realizado.

Não posso deixar de mencionar a indicação que trás no disco:

Uma das mais gratas tarefas recebidas de Serviços a São Bernardo há de ter sido, por certo, aquela de acompanhar a formação da “Bandinha do Rudge”, idéia generosa do então prefeito Hygino de Lima , moldada no exemplo da Banda Infantil de Baeta Neves, já então muito solicitada em apresentações e requisitada constantemente por outras cidades, sempre com muito interesse e curiosidade. Eu era, na época, o responsável pelo setor de difusão cultural da prefeitura  e recebera de Hygino a recomendação de dispensar à iniciativa uma atenção especial. Ele próprio havia ido buscar na Banda da Força Pública do Estado o concurso do Tenente Francisco de Oliveira Sales, obtendo sua licença da corporação para que pudesse dedicar-se inteiramente a este projeto, diz o Secretário da Educação e Cultura  e Esportes Fernando Leça.
Praticamente Fernando Leça diz tudo o que está em registro como Memória Musical da Cidade de São Bernado do Campo e que passei .
Coloco também algumas partes não ditas:

 
Não é sem razão que agora este LP, sob os auspícios do Fundo de Assistência à Cultura. É mais um justo reconhecimento que o Prefeito Tito Costa e a Secretaria de Educação Cultura e Esportes fazem à qualidade musical  deste jovem e harmonioso conjunto e à competência e sensibilidade de seu regente. É um régio presente aos apreciadores do gênero, mesmo os mais exigentes. Este disco capta e perpetua a emoção que milhares já tiveram a felicidade de sentir, nas muitas audições de nossa querida “Banda do Rudge”. Funde o Clássico e o Popular, nas evidências da universidade e unicidade da música, e também, porque não dizê-lo, da versatilidade destes pequenos-grandes músicos,  termina , Fernando Leça .

Este Blog: Observei que, alguns elementos  podem ficar zangados com este blog, pois não escrevi toda a carta  escrita por Fernando Leça, uma indicação que fala da trajetória campeã, o que mostrei nos registros que forneci e mais, pois quem participou das gravações do LP em questão, não foram os que eu mencionei acima.


A FILA ANDA
Como era uma Banda Infanto Juvenil , os precursores, aqueles que começaram a Banda que antes Bandinha do Bairro dos Meninos  e em pouco tempo, com a força da Banda do Baeta Neves, a popularidade de nossas bandas, vieram outras a somar nosso quadro qualitativo, no gênero éramos muitos e digo mais, a Banda do Rudge Ramos, era odiada, temida, e maravilhava como suas apresentações, concursos.
Odiada por outras Bandas, pois quando botava o pé na cidade, dava um desanimo nas outras... é como já se sabia, “vamos perder”... isso é verdade!!!.
Temida, pois não tinha como ser melhor que ela. Eu sei, eu estava lá, dava graças a Deus quando ela não ia em um campeonato, pois quem sabe as a Banda do Ferrazopois poderia ganhar? Já tínhamos uma coisa em comum, éramos todos da cidade das bandas , éramos de  São Bernardo que era temido, mas também, a Banda do Rudge maravilhava os ouvintes, da mesma forma que a Banda Mirim Dr Baeta Neves.
Na verdade éramos bem separados, as Bandas pobres e as ricas, e é claro que eu tentei entrar na Banda São José, na Baeta Neves, no Rudge, mas eles chamavam, se você fosse  bom  de verdade, o que aconteceu com Marcelo Oliveira Lopes (trompetista) e Uziél (Clarinetista). Ambos começaram na Corporação Musical Filarmônica Maestro Pedro Salgado e o Marcelo foi para o Rudge Ramos, atingiu a idade e, como se diz, a fila anda, foi para a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo(orgulho nosso) e Uziél, com seu Clarinete passou nos exames e entrou na Banda Sinfônica Municipal de São Bernardo do Campo, na qual está até hoje(até quando existir). Dá aulas de música no Projeto Guri, faz parte da Banda Sinfônica Municipal e tem mérito absoluto como um dos maiores clarinetistas de São Bernardo do Campo, digo isso, pois o conheci quando nós caçavamos notas nos pentagramas, do seu empenho e dedicação, vi e vivenciei como garotos, a subida fenomenal destes dois elementos que compunha a Corporação Musical Filarmônica Maestro Pedro Salgado.
Aos integrantes que fizeram parte da gravação, calma, vou redigir, afinal estamos todos pensando: Que bom se tivessem estas mesmas bandas hoje em dia?
Bocato participou da Banda do Rudge, foi para Banda Mirim Dr Baeta Neves em 1969 e Ubaldo Versolato começou sua história de vitórias na Banda Mirim EEPG Dr Baeta Neves... isto não consta no livro da memória 
 

Voce pertenceu a um desses grupos? Vai discriminar  um músico, poeta, pintor , dançarino um palhaço???

Lembre-se que sempre há um artista dentro de você... mesmo que você não queira!!!


@mozartfaggi é o twitter

 https://www.facebook.com/pages/Page-Mozart-Faggi/415040068516773?ref=hl  é a page... informação nunca, mas nunca mesmo é demais!

8 comentários:

  1. A melhor banda que existiu sem dúvida.O que era aquilo,onde estávamos todos realmente se sentiam derrotados.E isso não é mentira quem viveu todos os campeonatos que participamos sabia mesmo que éramos temidos.Mas isto graças a nosso maestro que sacudia a todos para que não falhassemos, quantos sábados não houveram de ensaios na nossa sala e no estacionamento da sub prefeitura de Rudge Ramos que era ao lado.Sim íamos ate la para treinarmos a nossa marcha Muita saudade, caramba a juventude de hoje precisa muito deste apoio não sabem o que estão perdendo.E o orgulho ainda existe.Meu nome Robson Perrella percussão vulgo (Super Homem)apelido dado pelo nosso Professor Romilson.Obrigado.

    ResponderExcluir
  2. Que tempo bom ! Nossa a alegria de ler e relembrar momentos mágicos, a gente era tão feliz...eu nem lembro direito o ano que participei da Banda só sei que a gente ganhava realmente todos os concursos. Banda boa era pouco kkkk, depois disso muitos continuaram na música e hoje tem como profissão, eu mesmo sou professora em uma Universidade Federal de clarinete e saxofone, mas já toquei em Banda e Orquestra Sinfônica, é certo que muitos amigos estão trabalhando com música até hoje pois de lá saiu muitos talentos, amo aquele tempo e tenho muitas saudades de todos.

    ResponderExcluir
  3. CARAMBA!! Viajei no tempo agora, Robson perrella, vc tem toda razão, quantos sábados passávamos ensaiando, marchando na sub-prefeitura, a maioria dos pais dos pequenos-grandes músicos acompanhavam, apoiavam, e por causa disso eramos sempre campeões mesmo, participei de poucos campeonatos, como um em Cotia, que quando chegamos, ja ouviamos comentarios, " puxa, ja era, perdemos, o Rudge chegou" hehe. Merito ao meu amigo, e maestro Romilson Curvelo da Silva, que era muitíssimo exigente, parecisa uma grande sinfônica quando tocava, devido a perfeição sonora!! Saudades!!!

    ResponderExcluir
  4. Eu participei desta Bandinha, eu tocava Clarinete, mas queria tocar Requinta, mas o prof. Romilso não deixava kkkkkk, meu irmão também estava, tocou vários instrumentos Sax, trombone, e outro que não me lembro agora. Bem legal, gostei da matéria.

    ResponderExcluir
  5. Eu participei desta Bandinha, eu tocava Clarinete, mas queria tocar Requinta, mas o prof. Romilso não deixava kkkkkk, meu irmão também estava, tocou vários instrumentos Sax, trombone, e outro que não me lembro agora. Bem legal, gostei da matéria.

    ResponderExcluir
  6. FRANCISCO CARLOS DE LIRA4 de fevereiro de 2017 08:58

    EU PARTICIPEI DESTA BANDA QUANDO INICIOU AS SUAS ATIVIDADES, FUI O PRIMEIRO MÚSICO A COMPRAR UM INSTRUMENTO, UM TROMPETE, TEM MUITA HISTÓRIA A SER CONTADA, PARABÉNS PELA MATÉRIA.
    CARLOS LIRA





    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também participei e o Romilson me ensinou a tocar em casamentos com ele

      Excluir
  7. Voltei 3 décadas no passado lendo isso, que tempo bom!
    Toquei clarinete na banda entre 81 e 87, as apresentações eram uma diversão, principalmente as viagens. Quem se lembra de Torrinha?

    Uilton J. Romeiro

    ResponderExcluir