quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Sou civil, irão me chamar para eleger o Conselho Municipal dessa vez?


A questão maior é o porque não respondem, porque ficam parados com uma certa cara de “eu não sei, mas você tem que entender que é assim”?

Ano passado não responderam , a cultura parecia estar inativa, inoperante... Não responderam porque a câmara de cultura (residência artística) não responderam sobre o CLM que 2 anos estão parados, não responderam o fato da Banda Sinfônica Municipal de SBC estar se esvaindo, não responderam o porque que em São Bernardo do Campo, Bandas Fanfarras, Bandas Marciais são cada vez mais escassos! Cadê as respostas?
Se for devido a uma suposta falta de pessoal qualificado, porque não publicam algo do tipo, se for o caso” precisa-se de 6 conselheiros por só com os 5 não dá para levar” já que estaria precisando? Porque a cultura não se ajuda a nos ajudar? Eleições?
O fato de ser eleição não nos impede de reclamar, mas damos créditos... aí começa o grande círculo... é eleição, ok... terminar o ano para pegar o cargo, ok, já sabemos quem pegou o cargo? Ok !... agora estamos nos 4 anos ou 3 pois não devemos contar com o ano eleitoral(já deu para ver que é assim)... passa um ano,ainda não... passa dois... não... passa três... não e no quarto, esquece, pedidos não são aceitos, aliás, podem até te ouvir, mas fazer algo, eu duvido?
O grupo FACA que reúne as 11 artes está atenta... o CONSORTE que faz parte e membro já briga a muito tempo e, sempre houve problemas, mas estes mesmos problemas com a administração, que hoje temos que reciclar, tem outra realidade.
“Uma coisa que quero dizer, os artistas, na grande maioria, trabalham dentro da regra, se sai um edital para você pegar a data do Teatro, mesmo que você não concorde, mande uma carta dizendo que aquilo é imoral”, diz Edu. Diz ainda que dentro do grupo, como antes eu já havia dito, deve ter uma linha de raciocínio de trabalho,a parte que cuida da burocrática, o francos atiradores, os que ficam turbinando  sites e redes, a fim de que eles ao menos não esqueçam de nós.
Estas pessoas que ficam turbinando, vão a prefeitura e pedem “eu só quero que esta questão seja solucionada”. Quem sabe é resolvido? Depois de resolvido, parte-se para outra questão, e daí vai adiante...
Até hoje eu não sei para onde foi o dinheiro do FAC ?(Fundo de Assistência a Cultura) e vivia perguntando sem respostas.... alguém aqui sabe para onde foi o dinheiro do FAC? Pergunta Edu.
Fatos: Não sabem para onde foi o dinheiro do FAC e agora vem dinheiro do Conselho Nacional de Cultura? Tem algo estranho aí, não tem?

Outro fato: Quando é formado o conselho, ninguém sabe o nome de quem foi eleito, nem ao menos nos chamaram para votar neste suposto conselho! Você sabe como é formado o conselho?... podem dizer o que querem, mas nós não assinamos a entrada desse suposto fantasma do conselho(fantasma sim, pois sai o mandato e você não sabe para quem reclamar, conversar... é uma icógnita) Qual a lógica do Conselho se sempre foi esta? Tem uma nova lógica?
Você pretende entrar no conselho? Já participou dela? Você entrou no cargo que esperava?
Retruca o grupo, você nem sabe o que é um conselho, veja pelas cidades São Caetano do Sul, Santo André... a cidade de São Bernardo do Campo é formada por conselheiros legistas, em maior parte.
A pior parte é ouvir que, os Sambernadenses são desorganizados quando se trata de conselho, que sumimos (esta é a única história que pessoas que estão dentro da prefeitura sabem dizer) UMA RESPOSTA PARA A SECRETARIA DE CULTURA, NÃO SOMOS PAGOS PARA FICAR 24H... VCS SIM... SÃO!
A questão das cartas como já havia dito em tópicos anteriores, “ representação por cartas, são ótimas, eliminam o Alzeimer da prefeitura ou do conselho ou Secretaria de Cultura, pois é um documento, é memória, tem nomes de todos etc etc... mas a questão é ouvir a resposta, que não é uma resposta, é uma “antiresposta”, ficamos andando pra lá e pra cá buscando respostas e como já sabemos, não dão respostas para nada. Quando você percebe, já passou 4 secretários e não fizeram nada, nem responderam a pequenas perguntas.

Diz o CONSORTE, que tiveram que contar a história do CONSORTE para todos os Secretarios que entraram(e nós somos desorganizados ah ah?)
As Artes , Música e Cultura estão se organizando, muitas coisas foram tiradas e, como este blog não fala apenas da Música e sim de todas as 11 manifestações artísticas , deixa informado e se informa sobre tudo!

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Alguém viu isso acontecer, Julio Medáglia disse que faria

Medaglia conta que o município terá uma usina cultural musical de grande importância para a população da região. "Temos um projeto ambicioso e vamos trazer a São Bernardo músicos de fora do Brasil para morar na cidade e, além de serem integrantes da orquestra, darão aulas nos cursos de formação. Iremos criar uma geração de profissionais de nível internacional e com qualidade", disse.

Para isso, está previsto no início de 2011 a abertura de edital público para chamamento dos músicos, que serão contratados pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), por meio de convênio com a Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (Fesp). A previsão é que a orquestra conte com 75 profissionais com salários em torno de R$ 8 mil. A Prefeitura irá oferecer toda infraestrutura com apoio da lei federal Rouanet de incentivo à cultura. Os investimentos para os dois primeiros anos são da ordem de R$ 16 milhões.

Entre os nomes a participar do processo está o quinteto de cordas de Bolshoi, da Rússia. Profissionais da Filarmônica de Berlim estão ajudando a encontrar músicos que toquem instrumentos de madeira alemã, cordas da Europa Oriental, metais norte-americanos e percussão brasileira.

A sede da orquestra será na futura Fundação Pierino Massenzi, que será instalada nos antigos estúdios da Companhia Cinematográfica Vera Cruz. O projeto de lei do pólo de produção, exibição e qualificação de profissionais para o setor de audiovisual irá em discussão na Câmara Municipal em setembro.

Inicialmente, os ensaios serão realizados no Teatro Lauro Gomes, diariamente, três horas por dia, de segunda a sexta-feira. O grupo também fará concertos nos palcos da cidade, praças, igrejas, ginásios, além de São Paulo e fora do Brasil.

Cultura ontem e hoje(2010-2013)

Eu realmente sinto falta de um teatro que seja da iniciativa privada em SBC. Por que todos os aparelhos têm que ser públicos? Será que um teatro privado não teria condições de subsistir na cidade?

Eu gostaria de saber se há planos de se estimular por meio de isenções a construção de teatros para grupos da cidade. O pessoal do CONSORTE poderia se estabelecer dessa maneira. Poderiam inclusive ministrar aulas nos períodos em que não há espetáculos, diz Eduardo Veríssimo em 21 de julho de 2010. 

 

Realmente, naquela época talvez fosse até mais flexível, no entanto hoje, privatizar algo é anti politico, principalmente quando se trata de falar na atual gestão que é Luiz Marinho (PT)
Privatizar não, mas ter ajuda privada sim. Sentimos a falta de um professor que ficasse o ano inteiro dando aulas, que não fosse meros 3 meses de aulas em oficinas culturais e 6 meses no ano, pois isso não ajuda a formação.
Leis como a 8666 não deixam que o professor tenham vínculos empregatícios com o município, enquanto se for ajudada por uma empresa privada, contemplando o aluno com mais aulas, mais qualidade sem custo algum, ou seja, pública, seria bom...
Deixar claro que essa opinião é boa somente se os alunos tiverem isenção absoluta. 

domingo, 27 de janeiro de 2013

Queremos o VAI (Valorização de Iniciativas Culturais)





Por que não podemos contar com o VAI? O que nos detém ? O que detém a própria administração de políticas publicas em relação à Cultura?

Atual Secretário da Cultura Osvaldo de Oliveira Neto

Talvez uma desculpa desconexa, mas vale a pena mencionar: Todo convênio é reconhecido por ele (a prefeitura) por 5 anos e este convênio que temos, este convênio foi conseguida  e lançada em 2008 , onde existiam apenas departamentos,  época de Celso Fratesh , o primeiro secretário daqui de SBC. Na época , no lançamento do edital, não foi conseguido os 15 pontos necessários, então ficou  e foram premiados os 10 e lançariam os restantes (5) no próximo ano, em 2009. Não podiam  premiar os outros pois a PGM do município não deixou...
Mas e o agora??? Depois das eleições, depois de eleito, depois de pego os cargos, e na virada do ano já foi mandado novamente do edital, o pedido a PGM, sabendo-se que tem dinheiro em caixa, tem juros, temos tudo, é possível sim.
Mudamos de ano e pudemos novamente ter o VAI e tantas obras. O ano entrou e a PGM, inclusive é importantíssimo ter pessoas do grupo nesta nova comissão onde não há ninguém e a prefeitura está e pode chamar pessoas com compromissos voltados à cultura desde grupo.(lembrando que não sabemos que entra nesta empreitada... será que conhece pelo menos uma página de cultura?)

Celso Frateshi ex Secretário da Cultura de SBC 2009

Fechando o comentário, o VAI não tem nada a ver com os convênios, mas tem a ver com os conselhos municipais e, indo para este ano, os conselhos municipais dizem se pode ou não, no caso do VAI, como o Conselho Municipal não estaria formado seria ILEGAL usar o dinheiro. Subtende que o dinheiro está lá, parado e ninguém para dar um conselho de para onde deve ser colocado ou investido... Não seria uma questão de Orçamento Deliberativo Participativo, a tal OP que foi implementada com alguns sucessos e outros desgostos pela população?
Leopoldo Nunes Ex Secretário da Cultura de SBC até 2011


A briga toda está em fazer ou não fazer o VAI (Valorização de Iniciativas Culturais), está também em atender a cultura de SBC com pessoas ligadas a SBC, está em nutrir as informações  para passar aos cidadãos, está em colocar pessoas que sabem da real necessidade de SBC em termos culturais e, essas pessoas são aqueles que estão na mesa, discutindo pontinho por pontinho, e por isso saiu a discussão.  A discussão foi boa para acordar!

Histórias de Secretaria da Cultura de São Bernardo do Campo, quem já passou ou foi secretário!

Celso Frateshi (o primeiro e o mais odiado)
Leopoldo Nunes (o melhor que tivemos)
Frank Aguiar(apenas seguiu uma pasta, diga-se de passagem, vazia)
Neto(que seria adjunto)

FAZEMOS PARTE DA CULTURA, TEMOS UMA MEMÓRIA A SER PRESERVADA, AS ARTES MÚSICA E CULTURA PRECISAM DE VOCÊ , LEIAM , COMENTEM E SIGAM ESTE BLOG!

Desde os primórdios, hoje temos marmelada, diz o Circo!

por Elmo Francfort Ankerkrone
Março 15, 2001


 Hoje tem marmelada?    "Hoje tem marmelada? Tem sim senhor! Hoje tem goiabada? Tem sim senhor! E o palhaço, o que é? É ladrão de mulher!" - E é assim que nesta semana invado o universo circense da televisão. Um universo onde palhaços, malabaristas, mágicos e tantos outros brilharam...Desde os primórdios! Mal haviam inventado o meio televisão e lá já estavam os palhaços fazendo bagunça na telinha. E é sobre estes palhaços, o símbolo maior de um circo (sem menosprezar os demais, é claro!). Aqui vai a nossa homenagem a estes mestres do riso. 

Piolin, o pai dos palhaços  
FuzarcaAntes de falar de qualquer um dos palhaços, é bom lembrarmos do mais antigo, que é considerado o "Rei dos Palhaços" no Brasil. Nome: Abelardo Pinto; apelido: Piolin! Um palhaço que teve este apelido dado por uns espanhóis, por causa de sua extrema magreza, na juventude. Ele era magro como um "barbante", significado da palavra "Piolin".   Piolin, como Carequinha, trabalhou no circo desde que nasceu...até o primeiro morrer, em 1973. Hoje Piolin é nome de rua no centro da cidade. Este, que além de cômico foi acrobata, ginasta, equilibrista, sempre destacando-se com seu brilho especial.   Seus contemporâneos diziam que este era pai de todos aqueles que pintavam a cara, botavam colarinho duro e saíam por aí, fazendo o povo rir. Piolin fui o único palhaço do Brasil a participar de um dos movimentos mais significativos de nossa história atual, a Semana de Arte Moderna (1922), enquanto a seus lados só existiam poetas, pintores, arquitetos e teatrólogos. Além deste fato, trabalhou com três grandes palhaços: Harry Queirolo (parente de Torresmo), Alcebíades Albano Pereira (com quem completou mil espetáculos, no largo do Paissandu) e com o filho deste, o Fuzarca (à direita, Visita dos palhaços ao Club do Papai Noel - TV Tupi, década de 50. Da esquerda para direita, respectivamente: o palhaço Fuzarca, a menina Sônia Maria Dorce, o apresentador Homero Silva e o palhaço Torresmo. Arquivo pessoal de Sônia Maria Dorce / APPITE.



O Cirquinho do Arrelia   
Arrelia
Programa Cirquinho do Arrelia, TV Record - década de 50. No canto da direita esta seu sobrinho, o palhaço Pimentinha e ele está bem no meio, com as mãos dadas. Arquivo pessoal de Waldemar Seyssel / APPITE Arrelia atualmente, com mais de 90 anos. Arquivo pessoal da Waldemar Seyssel / APPITE


Não se sabe ao certo qual foi o primeiro palhaço da televisão: Arrelia ou Fuzarca e Torresmo? Na versão que mais se fala, cabe o título a Waldemar Seyssel, o nosso querido Arrelia, que hoje está quase com 94 anos de idade. Aquela mesma TV Paulista que nas semanas anteriores citei foi a pioneira na palhaçada. Foi lá que nasceu o programa O Circo do Arrelia, que mais tarde iria ser um grande sucesso na TV Record, canal 7, rebatizado com o diminutivo do nome (Cirquinho do Arrelia). Sempre aos domingos, em ambas emissoras.   Arrelia sempre foi irreverente e se diferencia de "qualquer palhaço de qualquer época". Tem um bigode branco, um nariz vermelho chatinho e arrebitado, um chapeuzinho e um terninho listrado de fios pretos sob a superfície vinho.   Seus programas se iniciavam com a música "Muito bem", logo depois viria uma série de pantomimas onde Arrelia brincava com seu sobrinho e também palhaço, Pimentinha (Walter Seyssel). Depois do intervalo, o Cirquinho do Arrelia mudava de quadro e aí entrava o Circo-Teatro, onde uma espécie de episódio cômico era feito, digamos o que hoje existe na Turma do Didi ou até mesmo nos quadros de Os Trapalhões, encabeçados por Renato Aragão, o Didi Mocó, um palhaço sem maquiagem.   Logo abaixo, reproduzimos a música "Muito Bem", introdução do programa Cirquinho do Arrelia, de autoria de Manoel Ferreira, Arrelia e Antônio Mojica.  

 
"Como vai? Como vai? Como vai?
Como vai? Como vai, vai, vai?
Eu vou bem! Eu vou bem! Eu vou bem!
Muito bem! Muito bem! Bem! Bem!
Você vai bem?
Eu vou também!
E ele como é que vai?

Como vai? Como vai? Como vai?
Como vai? Como vai, vai, vai?
Eu vou bem! Eu vou bem! Eu vou bem!
Muito bem! Muito bem! Bem! Bem!"
   
Nos Tempos do Circo Bombril  
Respeitável público, está começando mais um Circo Bombril... - Todo bem vestido, Walter Stuart tirava sua cartola e abria assim o Circo Bombril, o pioneiro programa circense da PRF-3 TV Tupi. O mediador dos espetáculos era o Stuart, este que até morrer fez comédias - seu último "número" foi na Praça É Nossa (SBT). Todas as segundas-feiras, às 8 horas da noite, Circo Bombril fazia a alegria das crianças que assistiam o canal 3, o campeão de audiência.   Num vai e vém entre um número e outro, os palhaços Fuzarca (Albano Pereira) e Torresmo (Brasil José Carlos Queirolo) entravam e faziam suas pantomimas... Walter Stuart era sempre interrompido por estes seus dois amigos. Stuart chamava, quase sempre, em primeiro lugar o mágico, logo viriam esquetes teatrais. Mas seguido de várias atrações, o intervalo maior do programa se aproximava. Era nesta hora que o grande espetáculo de Fuzarca e Torresmo acontecia, no estilo "episódio", como já citei mais em cima. E foram nestes que entrava Henrique Canales, irmão de Stuart, fazendo papel do homem sério e bravo que dava o contraponto para as piadas e brincadeiras daquela famosa dupla de palhaços.   Com o tempo, Fuzarca e Torresmo foram caindo no esquecimento. A produção sofisticada do Cirquinho do Arrelia e o crescimento assustador da TV Record engolia a audiência do Circo Bombril, patrocinador que certamente também havia se retirado do contrato. Os enlatados e o crescimento dos telespectadores mirins, que assistiam assiduamente este programa, também deram fim a não só o Circo Bombril de São Paulo, mas também a todos os outros de cada emissora dos Associados pelo Brasil - é bom lembrar que naquela época não existiam redes de televisão. Uma das únicas Emissoras Associadas que não possuíam o Circo Bombril era a do Rio de Janeiro, que mais abaixo explicarei.   Albano Pereira (Fuzarca) morreu antes de Brasil Quirolo (Torresmo), que faleceu em 1996, já com muita idade.   

A Genealogia da Palhaçada   
BozoNão, pessoal, a televisão não é o único meio que, as vezes, uma genealogia por trás. O circo é algo impressionante, onde este "fenômeno" se repete com muito mais freqüência.   Torresmo (Brasil José Carlos Queirolo) não foi o primeiro dos Quirolo a fazer palhaçadas por aí, nem mesmo Harry Queirolo. O primeiro nem mesmo era brasileiro, era o espanhol José Carlos Quirolo, que na Espanha tinha o nome de "El Chicharón" ("o torresmo"), que abrasileirado ficou sendo Palhaço Chicharrão. Chicharrão era pai de Brasil Antônio, que resolveu colocar este apelido de "Torresmo" ao traduzir para o português o apelido do pai. E a genealogia "gordurosa" foi passada até para o neto de Chicharrão e filho de Torresmo, o palhaço Pururuca, que até hoje faz sucesso pelos circos do Brasil.   Chicharrão chegou a fazer sucesso na televisão também, estreando seu programa circense no início da TV Excelsior, na época de sua fundação, em 1960. Chicharrão vinha para TV quando o filho já estava quase no término do Circo Bombril. Torresmo chegou até participar do programa do pai na Excelsior, mas preferiu se dedicar mais ao circo não-televisionado.   A família de Arrelia também tinha tradição circense. O seu avô, pertencente à família dos Condes Seyssel da França, abandonou uma vida de luxos para se casar com uma acrobata, filha de um dono de circo. A paixão foi pela moça e pelos espetáculos, que nunca mais largou.   Desta mesma família, um outro neto do primeiro Seyssel circense é Gilberto Fernandes, o Gibe, palhaço famoso na televisão, que atende pelo apelido de Papai Papudo, que alegrou muitas manhãs e tardes da Record e do SBT ao lado de Bozo. Sempre com sua inconfundível frase: "Que horas são? São cinco e sessenta". Hoje Gibe faz as pegadinhas do programa Topa Tudo Por Dinheiro (SBT), aos domingos, comandado por Silvio Santos. Gibe começou na TV Tupi, em 1963. (à direita, Foto do Bozo (SBT), contida no LP de número 2 do Programa do Bozo, 1984. Propriedade da gravadora BMG-Ariola)    


As Aventuras do Carequinha   
Na PRG-3 TV Tupi do Rio de Janeiro, ao invés de dois palhaços apresentando um mesmo programa, cujo nome deveria ser Circo Bombril, Assis Chateaubriand sua "inteligência comercial" e mudou a sua proposta circense no Rio de Janeiro, pegando o palhaço Carequinha para fazer seu programa, temendo que outra emissora pegasse o mesmo e quebrasse a audiência da Tupi carioca. Carequinha era famoso por ser compositor de marchinhas carnavalescas (e ao mesmo tempo circenses) e por lotar assustadoramente circos e estádios, no caso de espetáculos especiais, coisa que fez depois na Tupi. O canal 6 então resolveu inventar o programa circense, estilo episódio, chamado As Aventuras do Carequinha. O programa teve muito sucesso na emissora, sempre despontando em primeiro lugar. Mas depois de quase uma década no ar, por motivos que não sabemos, o programa foi tirado do ar.   Em 1983, quando a concessão do mesmo canal 6 do Rio de Janeiro foi passada pelo governo o poder da Rede Tupi para a Rede Manchete, Carequinha retornaria o seu programa, naquela mesma emissora. Só que desta vez, à cores e por menos tempo. Nem cinco anos de existência teve o programa, sendo colocado em seu lugar programas como Clube da Criança, que revelou Xuxa e Angélica na televisão,  e Milk Shake, com Angélica também.   Uma música famosíssima de Carequinha é "O Bom Menino", composta na década de 50:  
"O bom menino não faz xixi na cama
O bom menino não faz malcriação
O bom menino vai sempre a escola
E na escola aprende sempre a lição
O bom menino respeita os mais velhos
O bom menino não bate na irmãzinha
Papai do céu protege o bem menino
Que obedece sempre, sempre a mamãezinha
Por isso eu peço a todas as crianças
Preste atenção para o conselho que eu vou dar
(falado)
Carequinha, não gosta de criança que faz Xixi na cama,
que desobedece os pais, que falta a escola,
que bate na irmãzinha. Tá certo ou não tá?
(cantado)
Eu obedeço sempre a mamãezinha
Então aceite os parabéns do Carequinha."
 
A Última Geração
A última geração que aqui falamos, dos grandes e carismáticos palhaços da televisão, está localizada do fim da década de 70 até o fim da década de 90. O que está fora desta última década, depois disto, não é enquadrado como um grande sucesso.   No fim da década de 70, Silvio Santos, na época dono da TV Record, ali havia começado sua importação de programas internacionais e os nacionalizando. Era o caso do Programa do Bozo, personagem americano (do programa Bozo, the Clown) de cabelos vermelhos e roupa azul, com babados e bolinhas brancas. Além do palhaço, existia o desenho dele, produzido nos Estados Unidos mesmo. A esperteza do dono do baú foi a de, com a criação da TVS em São Paulo (depois SBT), levaria as atrações da Record para o canal 4. Bozo tinha a seu lado Papai Papudo, sempre preocupado com as horas (o Gibe, que já citamos); a Bozolina, que fazia grunhidos como se estivesse falando com os outros (que só mesmo os palhaços para entendê-la!) e a Vovó Mafalda.   O programa era de manhã e à tarde. Existiam dois bozos, um para cada horário. O ator Arlindo Barreto foi um e o entrevistador do Baú, cujo nome não me recordo, era o outro. Em 91 o programa da tarde deu lugar ao Show Maravilha, com a baianinha Mara. Mais tarde, o Bozo da manhã também saía do ar, sendo 100% de Show Maravilha.   O que restava era apenas a Vovó Mafalda, que a tarde, desenvolveu um programa onde crianças cantavam e eram julgadas, isto por volta de 1995. A "palhaça" tinha também seu programa matinal, por volta das oito horas, que não me lembro se chamava-se já Bom Dia & Cia., mas que foi substituído, com certeza, por este onde a apresentadora seria Eliana, que hoje está na Rede Record. A primeira palhaça da história da televisão, a Vovó Mafalda, era interpretada por Valentino Guzzo. Este, que morreu em 2000. Sua última profissão foi animador de auditório do Programa do Ratinho (SBT), um posto pequeno para quem teve uma gloriosa carreira, sendo até jurado da TV Excelsior. Mas este papo fica para outro dia.   Tiveram também Atchim e Espirro, da TV Gazeta, que nesta mesma época, emplacaram bem na competição com Bozo. Eu lembro até de ter ido numa festa onde o Espirro fez um showzinho. Como o Bozo, também era sensacional o programa deles. Mas sou suspeito para dizer isto.   Em termos circenses a Rede Globo jamais atingiu o feito dos outros canais, nunca foi líder de audiência nesta modalidade. Tentou fazer palhaços no Xuxa Park, nos último anos, mas não emplacou.   E hoje nossas crianças assistem desenhos violentos e esquecem cada vez mais do encanto singelo de nossos queridos palhaços, frutos da magia circense.

Bloco Maria Fuá



Sobre o Bloco Maria Fuá

Maria Fuá é um bloco de carnaval de rua de São Bernardo do Campo – SP, fundado em 2011 pela Cia. As Marias através do projeto Cutura .BR (lê-se cultura ponto BR) realizado na Praça Névio Albiero – Jardim Calux para proporcionar um espaço de brincadeira e encontro nos moldes dos antigos carnavais.
Desde 2009 integrantes da Cia. As Marias participam da brincadeira de carnaval do bloco “Caixeirosas” de Barão Geraldo – Campinas, coordenado pela arte educadora Cristina Bueno e, encantadas por essa "nova-velha" maneira de pular carnaval, resolveram em 2011 criar o Bloco Maria Fuá trazendo esse encantamento para o bairro em que residem.
Esse ano o Bloco Maria Fuá conta com a presença de grandes amigos- parceiros-foliões: “Cia. As Margaridas” de Diadema, “Coletivo Ambulante” e integrantes da "ONG Pró Circo"de São Bernardo do Campo.
A concentração do Bloco acontece na Praça Névio Albiero na Rua Cabral da Câmara, a partir das 15h, onde é entoado o hino da Maria Fuá e onde os foliões aprendem a cantar a Marchinha de 2012 seguindo em direção às ruas do Calux onde acontece a folia com as Marchinhas tradicionais de Carnaval.
fonte: http://ciaasmarias.blogspot.com.br/2012/02/sobre-o-bloco-maria-fua.html
Praça Névio Albieri, s/nº - Jardim Calux-São Bernardo do Campo.


                Venham para o nosso bloco!!!!

20/01/2013 - ensaio aberto do bloco de rua Maria Fuá na Praça Névio Albieri, s/n° -

Jardim Calux- SBCampo/SP às 15HS;

27/01/2013 - ensaio aberto do bloco de rua Maria Fuá na Praça Névio Albieri, s/n° -

Jardim Calux- SBCampo/SP às 15HS;

03/02/2013- Pré-Carnaval do bloco Maria Fuá.

Será realizada um cortejo pelas ruas do bairro Jardim Calux- SBCampo/SP

concentração do bloco às 12 HS na Praça Névio Albieri e saída as 13 HS.

09/02/2013- Sábado de Carnaval Maria Fuá no Bloco Caixeirosas na Praça do Coco às 15 HS em Barão Geraldo/ Campinas;

10/02/2013- Domingo de Carnaval com o bloco Maria Fuá na Praça Névio Albieri s/n° -

Jardim Calux- SBCampo/SP às 15HS;
 

sábado, 26 de janeiro de 2013

Ajuda de amigos que sabem o quão é um problema passar algo pelos executivos


As perguntas primas foram mencionadas na entrega da carta e ainda se perguntam, como o por que não tem mais VAI? Porque sobraram recursos e pontos de cultura e ela não disponibilizou mais?
A resposta é simples, independente de quanto há para cultura, rendendo juros, haviam coisas que poderiam acontecer e não aconteceram, diga-se de passagem e sem milongas, falta de vontade política foi o que houve! Piorando ainda mais, sabemos que esse dinheiro vindo do governo federal é destinado a cultura e não foi usado no ano passado, não sabemos o destino dele nesse ano, por isso o FACA é compreensível, porém algumas coisas não são inteiras compreensíveis e isso gera uma discussão entre os membros, que é bom, pois até lá estávamos aceitando tudo sem pestanejar...
O Consorte explica, que o plano colocado para este fundo($$) tem e deve acontecer, a disponibilidade é para os 10 anos... isso tem que sair... , desde a entrega do orçamento.
É explicado exaustivamente que a Secretaria da Cultura já tem (TEM) autonomia para a execução de alguma coisa, não é possível gente! Aí entra os tempos onde não existia Secretaria, veio a Secretaria, saiu secretario, entrou outro, mudou, até o vice Prefeito fez posse de secretário...    
Comentou-se: Se não fez um VAI não pode fazer outro? A resposta de quem já tinha na ponta da língua foi NÃO... por que não??? Lembram do Conselho? É ele mesmo... não houve conselho e não pode fazer mais um conselho! E o VAI não FOI.

Em reunião em diversas vezes, quando se começava a entrar em um assunto que poderia ter interesse, pois nem todos tem o dom da palavra, pediam o corte do assunto para a questão no momento ou que pulasse para outra, que faz certa seqüência. A causa de tudo isso era, TEMOS POUCO TEMPO... foi aí, depois de diversas vezes contando os minutos que se faz a pergunta: Porque temos pouco tempo? Veio enfim a resposta de que o estabelecimento  fecharia em determinado horário(O fim da picada)
Agora se faz mais presente a necessidade de um local onde possamos dialogar, xingar a mãe, sem ser cronometrado... certas idéias ficaram pausadas e mesmo que não fossem de importância naquele momento, somente concluindo um pensamento podemos dizer se faz sentido em usar ou não... Reuniões sempre tiveram esse agravo Cronômetro x Cultura .

A Cultura não saiu vencedora, isso podem ter certeza! 


Ficou definido criar-se uma fan page onde todos podem curtir clique aqui para entrar

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

A primeira reunião do grupo F.A.C.A. Culturas e Artes


FACA faz seu primeiro encontro do ano. Agora surgem as perguntas, estão fazendo algo? Há uma credibilidade no que o Secretário Neto disse? Nossa carta foi levada em conta ou foi esquecida? Quanto tempo esperaremos para uma solução nas faltas, nas lacunas existentes com ênfase CULTURAL?
No grupo em mesa, disseram que fomos lá, entregamos a carta, nem todos estavam presentes e vimos que seria interessante fazer o chamamento...! Assim foi feito para melhorar o grupo, ter assinaturas.
A resposta foi melhor que pensávamos, conseguimos abordar, informar e chamar boa parte do cidadão Sambernadense e até de outras localidades.
Uma colocação de um dos membros enfoca que, em época da criação do grupo e o feitio  da carta foi em época eleitoral, em plena campanha, onde o Prefeito como o Secretário poderia falar qualquer coisa para a arrecadação de votos.
Passou as eleições, 2 longos meses, entraram na prefeitura no ano seguinte, e no dia 16 de deus Jano, foram substituídos Secretários e outros permaneceram, como é o caso do Secretário da Cultura Neto, (ele permaneceu.)
Os artistas teve que entender a estrutura do próprio pessoal da cultura(Secretaria da Cultura) não correspondia às necessidades.Mas como entender isso? Na tese, agora no momento aquele papel não correspondido se torna em vão, pois não foi assinado, não temos  sequer um documento que diz entre os executores municipais farão algo e “tome chá de cadeira.”
Como a estrutura estava, mas não sabemos porque, fragilizada no departamento que compete a cultura, ela terá que criar um conselho... 
Está aí, entregue as reinvidicações no dia 22 de novembro de 2012


Na lembrança das fases da cultura (departamento) e hoje podemos dizer, antes havia uma diretoria e ela dizia que não tinha recursos monetários 2007,2008, tentou-se então colocar um secretário, Celso Fratesh que não foi bem recebido, portanto não em 2009 que se criou uma Secretaria, pelo menos com Celso Fratesh não. Cria-se então a Secretaria com outra pessoa que estudou as pastas e retomou as oficinas e funcionamentos de teatros... um começo... Melhorou ainda mais a relação cultura x Sambernadense, criando novos postos e oficinas onde tudo foi para melhor, teve sim algumas baixas, como a Banda Sinfônica Municipal de SBC, que ainda está de pé, pois os músicos são concursados, são funcionários do município e não passam pela lei ridícula 8666, onde muitos dizem não ser ridícula, para isso temos que ver o que é, o por que da lei, onde ela se aplica, quando se faz necessária quem assina tal documento e como ou em que condições.
Em 2010 as oficinas foram estupendas, mas em 2011 certos núcleos criaram teias, uma delas é o Centro Livre de Musica no Teatro Martins Pena.



Criação de Conselho, a maior burocracia já vista e as vezes, não é eficaz! Esta é uma das pautas pertinentes que foi vista, profetizando o que não está nem perto de estar concluído.
A Artista Cibele disse, "já temos então uma diretriz para seguir ou reclamar imediatamente."

Exatamente, como a prefeitura mediante a tanta reivindicação, não deu nenhuma resposta que seja concreta, sem conselho ou com conselho as propostas serão devidamente serem exibidas, pois quem sabe o Secretário esqueceu ou perdeu o documento?
Dessa vez, compreende-se que deve ser carimbado, registrado, assinado, filmado e tudo de direito para que a prova esteja ao nosso favor.
Foi nesse ponto que tocou em um ponto” Para cada reinvidicação que fizermos, devemos passar por esse Conselho” ... Oras meia dúzia de pedidos irão demorar meses ou talvez anos.

Em reunião, estava um dos membros do Consorte, que mostrou a dificuldade, estamos agindo com boa fé, mas a prefeitura não encara dessa forma e no final dizem que Somos desorganizados
O Consorte deixou claro que o importante é deixar todos da prefeitura a par das decisões, inclusive o cabeça(prefeito) e as partes de baixo (comissionados, diretores, assessores)... pensando dessa forma o tiro vai de cima para baixo ou de baixo para cima, não sabendo como se funciona a verticalização dos tiros.

Inimigos Políticos... é a pior barreira, pois não disponibilizam informações, os projetos não passam, mas os que estão lá dentro, dizem que sabe, na verdade não tem idéia do que é e assim engana qualquer um com palavras do “eu prometo”.

Então com quem é melhor negociar?

Taí a pergunta que não se cala!

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

ATENÇÃO MUSICOS DO GRANDE ABCD PAULISTANO E SP

Atenção amigos músicos !!
Por iniciativa própria e após conversas com amigos da profissão, agendei uma visita no gabinete de um vereador de SBC, estou para agendar com um vereador de Santo ?Andre, SCS e 02 de SP.

Minha intenção é tornar púb
lico e pedir apoio para criação de leis que favoreçam e valorize nossa profissão.
POR ISSO SUA PARTICIPAÇÃO É MUITO IMPORTANTE, LEMBRE-SE PARA VIVERMOS DEMOCRATICAMENTE TEMOS QUE PARTICIPAR, COBRAR E FAZER NOSSA PARTE.


Quem se interessar por favor deixe seu nome/tel/email/instrumento inbox para mim.


SOMENTE UNIDOS E COM APOIO DA CLASSE POLITICA CHEGAREMOS A ALGUM LUGAR.


Julio Versolato 

 



De alguma forma vamos trabalhar a democracia, já em algum tempo reunidos, o grupo FACA( Fórum Aberto de Cultura e Artes) em São Bernardo do Campo, tem se reunido para discussões de relevância.
Incentivados pelo Secretário da Cultura Neto, pois adorou ser abordado pelos artistas de SBC, viu no nome FACA o nome ideal!
Julio Versolato faz o chamamento, quer que todos compareçam e participem, pois só assim, diz ele e eu estou de acordo, chegaremos a algum lugar.
Este é o momento, que é musico, quem é das artes, quem conheceu a OMB e a categoria, sabe da importância dela.
Alguns colegas pensam no cachê, que não é mal idéia, mas a formação é mais importante... estamos perdendo aquela era da Elis, linda e maravilhosa, da época dos grandes concursos de MPB naquela tela preto e branco! Eu me lembro bem...
Mais tarde veio o Free Jazz Festival em várias edições. Como não é Big Brother, não fez sucesso muito tempo... FAMA, TIM Festival... Novelas e Big Brother primeiro, Cultura depois.
Paulo M Nogueira Ferraioli diz ,a OMB na nova gestão tem enviado emails com ótimas oportunidades de capacitação em diversos níveis!!....Res. Interessante e isso devemos divulgar, mas as questões da OMB é pequena diante de tantos problemas do musico brasileiro, conversando e focando no problema de cada área que envolva a música, a OMB é um ponto, existem vários problemas relacionados a profissão de músico, diz Julio Versolato
Para tudo isso, Julio Versolato diz:  Esse é o proposito, só que existem questões municipais, estaduais e federais, e cada uma leva um tempo para ser digerida. acredito que se conseguirmos um grupo regional, fica mais fácil cobrar e até pedir apoio a classe politica e até da OMB, que tem sua sede em Brasilia. Alias a OMB se sentirá mais fortalecida em reinvidicar algo, pq terá o apoio dos músicos. Temos que conscientizar nossos amigos que reinvidar algo não é nada anormal, faz parte da cidadania, parto do príncipio de que devemos organizar grupos regionais e cada um vê os problemas de sua região, isso para resolver algumas coisas rápidas, mas o propósito mesmo como disse é conseguir algo no âmbito federal
Julio Versolato , ao dizerem que desde Elis não se faz mais musica, que somos desunidos ele retruca: também ouço isso e vejo a desunião, mas nunca vi ninguém se movimentar e organizar algo, pq de nada adianta ficar falando e reivindicando nos bastidores, e hoje que vivemos em um regime democrático a participação popular é importante, alias é ela que move as coisas, nós não podemos perder esse momento, é hora sim de se organizar... completou!
A tristeza de Julio,   minha tristeza maior é saber que não há perspectivas, mas existem leis, existem verbas, as coisas estão ai, eu não desisto e acredito nos meus ideais, temos que utilizar a informação e tecnologia, divulgue esse blog, post, vá no orkut mas divulque isso já é fazer algo, e outra coisa, as coisas demoram pra acontecer, mas é melhor esperar do que não ter nada para esperar, diz Julio Versolato.
Este blog entrou em ação e começou a jogar as matérias que já estão sendo abordadas e também deu a ele o grupo do facebook, clique aqui  onde se interessou
Dia 23 as 19:00h no CAJUV em SBC irá ter um encontro para discutir essas e outras questões, pois somos muitas categorias... Julio Versolato disse que estará presente,assim espero! 
Vamos lá pessoal , Abraços fraternos! e para ver o facebook do Julio Versolato e deixar no comentário imbox seu email, nome, telefone para que haja maior contato, clique aqui

Texto redigido após o dia 23/01/2013
Pois bem, veio o dia, Julio Versolato não compareceu. A reunião teve o melhor eu diria em aproveitamento e ele perdeu essa entrada que poderia ser triunfal, mas ao invés disso, conversou a respeito de musica com o vereador que assumiu o cargo este ano e, não sabemos se ele é realmente compromissado com a Cultura.
Saber o que é música todos sabem, mas não sabem quantos dias demoram para fazer 5 compassos de arranjo e por fim, dias e dias em um trabalho para que em 2 min seja ouvida ou executada.
 

 

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Crítico de Arte dá um ponta pé na Globo

Feita em uma rede de televisão e claro que não foi na globo, certos assuntos foram colocados no ar.
Primeiramente começou-se a falar da Cultura de SP, onde o crítico de arte disse que, a cultura não está muito boa, mas já esteve pior.
A pior causa de uma "doença" na cultura é talvez a tecnologia... baixar musicas, vídeos, tornou o computador ou forma similar, a maneira mais pratica de ter a pseudo cultura. Diz ainda que o povo esqueceu de ir ou ver o teatro, ir ao cinema, cd e dvd, se na maioria dos casos são pagos... basta gastar com a internet.
Daí o fomento a cultura se torna o propulsor para que não perca aquilo que é "improviso".
Veio em forma de R$50,00, projeto que ainda não é lei, da Ministra da Cultura Marta Suplicy, este que se chama "VALE CULTURA". Na realidade, diz Marta, muitos não saem de casa , mesmo sabendo que o espetáculo será bom, pois tem que ter a xepa do dia... é uma realidade, é um fato que não podemos omitir.
Bom até ai o entrevistado estava praticamente dizendo do bolsa ou vale cultura.
Entraram então o entrevistado e o entrevistador a falar do péssimo estado de certos equipamentos

domingo, 13 de janeiro de 2013

Instrumentos musicais ficarão mais caros em janeiro de 2013

Instrumentos musicais irão aumentar... o que já nos era caro irá ficar mais caro ainda!
O Governo Estadual não fez nenhuma força para dar incentivo artístico, pelo contrário, está punindo artistas de rua, músicos e teatrólogos, artes circenses, mas esta matéria refere-se ao músico, como aquele guitarrista que foi espancado e preso por tocar na rua.
Alckimim, não entende de artes, mas sabe falar do metrô ali e metrô aqui, esquecendo que a "gente não quer só comida, a gente quer comida, diversão e arte" . Nas bandas e fanfarras, falta muita coisa, inclusive professores e instrutores(creio que se colocassem mais bandas, mais educação musical, teríamos menos CRACOLANDIA .(((FATO))))
Musicos da cidade, há um abaixo assinado que deverá ser forte. Não podemos ficar esperando ou de braços cruzados e peço para que deputados estaduais, federais, senadores, vereadores e prefeitos façam sua parte pelo o amor de Deus!!!
Dará tempo para

Anuncios do Google

As MVA's aplicadas pelo comércio varejista paulista definem os valores do ICMS que deverá ser recolhido adiantadamente pelos fabricantes e importadores quando as mercadorias saírem de suas sedes - sistema mais conhecido como Substituição Tributária (ST). Assim, quanto maior o MVA, maior o valor da ST a ser reembolsado pelos lojistas e, portanto, maior o preço final a ser cobrado dos consumidores; indicando aumento inevitável no valor dos produtos nas lojas a partir de janeiro próximo.
Na reunião, Dutra enfatizou: "Argumentamos com o sr. Kondo que, infelizmente, a pesquisa de preços realizada pela FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) em algumas lojas de instrumentos não levou em conta os descontos praticados nas negociações com os consumidores. O critério do governou foi simples: pegou-se o valor de vendas praticado pelos lojistas e com base no valor declarado à Secretaria da Fazenda pelos fabricantes chegou-se ao percentual a ser aplicado no MVA; ou seja, antes da realização da pesquisa, todos deveriam ser alertados para a forma de cálculo do MVA, principalmente, os lojistas".
O presidente ainda ressaltou a boa vontade da Secretaria da Fazenda Paulista em encontrar os valores de MVA mais próximos da realidade. "Depois de muito diálogo com as autoridades, a Anafima apoia a redução dos MVA''s para alguns índices [como você verá abaixo], que ficaram de ser confirmados oficialmente pela Secretaria até o final do ano".


Código NCM         Descrição                        MVA 2012     MVA 2013 autorizado   MVA 2013 Proposto
92.01                     Pianos                                    25,73%            67,39%                         46,64%
92.02                     Violões, violinos                   35,10%            79,87%                         67,87%
92.05                     Instrumentos Sopro             43,88%            91,56%                         67,49%
92.06                     Inst. de Percussão               32,47%            76,37%                         58,19%
92.07                     Orgãos, guitarras                  36,52%           81,76%                          63, 80%
92.09                     Acessórios (metrônomos)  35,39%           80,25%                          65,91%


Ou seja, se eu comprava um instrumento de sopro, por exemplo, a R$1000,00, com o valor autorizado irá custar R$1798,70... isso é um absurdo! 

Quem já não gostava do Alckimim, tem razões de sobra para não gostar mais ainda!

 Em alguns tópicos lí as seguintes frases, MUSICO TEM CONSCIÊNCIA INTELECTUAL , E ISSO O GOVERNO E NEM OS POLÍTICOS QUEREM!/

Aliás todos aqueles que são Educados pelas artes, música e cultura, tem mais consciência do voto.

Ainda dá tempo pessoal, o pessoal irá se encontrar para ver se abaixa esse imposto cique aqui para entrar no abaixo assinado. Abraços a todos ! Vamos torcer!!!





Nunca vi o IPI reduzido para instrumentos musicais, bicicletas, peças para bicicletas... será que já não está na hora de acontecer?
Outro comentário diz: Depois as pessoas viajam fora para comprar as coisas e ninguém sabe o porque!!!
Não é criado mais empregos no Brasil referente a musica porque não convém, o Chinês é mais barato, até linha de pipa chinesa é a sensação do momento!!!

Espero que o jornal que está exibindo este prospecto, consiga mobilizar músicos e até não músicos, pois seu filho pode querer um violão, e ai, você tem a grana?

Veja o jornal web também http://musicaemercado.com.br/pagina/2680/instrumentos-musicais-ficarao-mais-caros-em-janeiro-de-2013/

 A Imagem que circula na internet


Deixe seu comentário a respeito!